Autor: Eduardo Valdoski

Sou Tricolor e Socialista. Para mim isso já é o suficiente. Mas quem sou e minha trajetória em poucas palavras é mais ou menos assim… Sou militante do Partido dos Trabalhadores e atuo na Juventude do PT. Atualmente sou membro da Direção Nacional da JPT, exercendo a função de Coordenador Nacional de Comunicação. Vivi a maior parte na minha vida na periferia da zona sul de São Paulo. Sou filho da professora Elza e do metalúgico Manoel. Estudei o ensino fundamental na Escola Municipal Miguel Vieira Ferreira, onde iniciei minha militância aos 14 anos no movimento secundarista. Fiz o ensino médio na Escola Estadual Brasílio Machado. Fui diretor da UBES entre 98 e 99. Participei da reconstrução da Secretaria Municipal da JPT de São Paulo em 97, fazendo parte de seu coletivo até 2005, sendo que em 2003 fui eleito Secretário Municipal. Entre 2005 e 2007 fui membro do Coletivo Estadual da JPT/SP. Neste período participei ativamente das campanhas de juventude da Marta Suplicy para a prefeitura (2000 e 2004) e de Aloizio Mercadante ao governo do estado (2006), além de momentos importantes da JPT, como a realização do I Festival de Cultura e Arte da JPT/SP. No início de 2007, assumi a secretária-adjunta nacional da Juventude do PT, onde tive a oportunidade de ser um dos idealizadores e organizadores do I Congresso da JPT, espaço de reformulação política-organizativa da Juvenude do PT. Nele fui candidato a secretário nacional.

Não me venha com indiretas! Baixe seu cartaz para a Parada LGBT

A parada LGBT é uma das maiores manifestações de rua do Brasil. É um momento de festa, de amor, e é também um momento de união da população LGBT por seus direitos e pela liberdade de seus corpos. Por isso, defendemos a retomada e o aprofundamento da democracia.
Queremos #ForaTemer e eleições diretas já! Queremos representatividade nos espaços de poder para LGBTs, mulheres e para a população negra.

Baixe o seu cartaz e procure seu crush no domingo!

 

Baixe o lado esquerdo do ❤

Baixe o lado direito do ❤

Anúncios

Última Arruaça de 2016 acontece neste sábado, dia 17

Arruaça, a festa promovida pelo Coletivo Arrua chega a sua oitava edição. Vai ser um encontro especial, mais cedo – pra quem quer curtir mais de leve ou pra aquecer pra noite – e num lugar diferente, o belo Espacio 945 no Bixiga (Rua Conselheiro Ramalho, 945 – Bela Vista).

15326375_575027962667615_4606723229511512449_n>>> Venha, confirme presença e convide a galera: https://www.facebook.com/events/224856911257176/

Sendo a última do ano, será também um momento de confraternização de quem esteve ou apoiou as diversas ações do coletivo. Só pra lembrar, tivemos entre outras atividades, o segundo ano de desfile do Bloco Me ocupa Que Sou da Rua, a resistência ao golpe com o #ocupeaDemocracia, o ciclo de debates feministas “Clandestinas, Dissidentes, Marginais”, além é claro de sete edições da Arruaça, a nossa festa.

R$ 5 a entrada, e a mesma boa música de sempre

O lugar é novo, é a última do ano e ainda por cima o valor da contribuição da entrada caiu para R$ 5! Mas a boa música continua como sempre, na pista Nuestros comandantes, DJ Babi e DJ Peron, tocam brasilidades y latinidades, afinal, como diria Renan: é proibido dançar agarrado, mas se quiser pode.

 

 

QUEM FAZ
A ARRUAÇA é uma festa organizada pelo Arrua Coletivo, um grupo que atua em SP pelo direito à cidade, e que entre outras coisas organiza o Bloco Me Ocupa Que Sou da Rua e está presente no Ocupe a Democracia | #OcupeaDemocracia e Música pela Democracia. Os valores arrecadados com a entrada são destinados ao financiamento do coletivo, principalmente o pagamento do aluguel da Zapateria, onde ocorrem boa parte dos nossos encontros. Quer saber mais: coletivoarrua.org

Sobre o local: Espacio 945
Espacio 945 é um espaço comunitário,colaborativo, coletivo que promove cursos, eventos programas de web.

Vai na Parada LGBT? Leve seu cartaz “Amar sem Temer!”

A4_OAD_Parada_0-2Este domingo é dia de Parada do Orgulho LGBT em São Paulo, vamos mostrar toda nossa indignação com este governo golpista, que além de usurpar os votos de mais de 54 milhões de brasileiros, é o governo da homofobia.

BAIXE AQUI O CARTAZ “AMAR SEM TEMER!”

Quem assistiu a votação do impeachment na Câmara dos Deputados percebeu o tenebroso cenário político em que vivemos. Foram votos pela família, pelas igrejas, pelo bem privado de cada parlamentar. Foram mais de 300 votos contra a nossa existência, contra nossos amores, nossos sexos, nossos corpos e nossas famílias! O golpe vem junto com uma forte onda conservadora calcada em figuras de um fascismo sem máscara e em mercadores da fé que não perdem uma oportunidade de nos jogarem na sarjeta da política e da vida em sociedade. Vamos à luta! Vamos como nossos corpos, com nossos desejos! Temer Jamais!

#ocupeademocracia com #musicapelademocracia

12472617_246106655735799_7040959527381650249_n (1)

O ódio, a intolerância, o preconceito e o golpismo não nos representam. Queremos uma democracia com mais amor e pluralidade. Nossa luta é pela defesa dos direitos de ir e vir, de livre expressão, de livre manifestação, de livre organização; pelo direito à diferença e à pluralidade; pelo direito à cidade e à participação, contra todas as formas de racismo, machismo, xenofobia, contra todas as formas de opressão e preconceito.

Confirme presença e convide as amigas e amigos no evento no facebook: https://www.facebook.com/events/1348488071845010/

A partir de domingo, 10 de abril, o Largo da Batata, em São Paulo, se torna uma ocupação cultural em defesa da democracia. #OcupeADemocracia e #MusicaPelaDemocracia – que permanece até o dia 17.

O Coletivo Arrua, ao lado de artistas e produtoras, ativistas, movimentos, coletivos artísticos e de intervenção urbana, defensores da pluralidade e da diversidade, convidam a tod@s para uma experiência coletiva de partilha sobre o significado da democracia e da cidadania. Esta ação é política, social, cultural e de todas as cores. Defender (essa) democracia para ir além! O

#OcupeaDemocracia conta com uma agenda que envolve debates, mesas, picnics, oficinas e espetáculos de rua e shows. Faremos um grande acampamento permanente na praça.

TRAGA SUA BARRACA, SUA ARTE, SEUS SONHOS PARA PARTILHAR COM A GENTE!

Impeachment sem crime é golpe!

mapa-democraciaA democracia do nosso país está em risco, mas você pode ajudar.

Conheça a plataforma Mapa da Democracia, portal que ajudará a pressionar os deputados e deputadas a frear o processo de impecheament da Presidenta Dilma e garantir que sejam respeitados os 54 milhões de votos das eleições de 2014.

O processo de impecheament tá nas mãos do Presidente da Câmara Eduardo Cunha. Se a Dilma cair, quem assume é o Temer! Você acha que a melhor alternativa é entregar a presidência do país para o PMDB? Nós não!

Para conseguir derrotar na Câmara dos Deputados precisamos de 172 votos contrários ao impecheament. Os movimentos pró-impecheament estão fazendo muita pressão via internet e atos de rua.

Mais do que nunca precisamos da sua ajuda para fazer essa pressão nas ruas e nas redes. Mande email, copie o twitter do deputado em uma mensagem, faça ligação nos gabinetes. Todo esforço neste momento é necessário.

Vamos todos/as juntos lutar pela democracia!

http://www.mapadademocracia.org.br/

Sem debate, Subprefeitura da Sé lança edital sobre uso de quiosques da Roosevelt, privilegiando a iniciativa privada

10655251_1533545096858412_5762068458760973787_oSem audiência pública, sem debate, sem consulta. Esse foi o método utilizado pela Subprefeitura da Sé para lançar edital de ocupação dos quiosques de vidro da Praça Roosevelt. O texto privilegia a ocupação privada e comercial do espaço. Confira abaixo carta do Coletivo Arrua, convidando os usuários e coletivos que atuam na praça para discutirem essa questão

 

Mais cultura na Roosevelt, contra a higienização e gentrificação
Debate público e aberto sobre a destinação dos quiosques da praça

Desde 2014 temos pautado a ocupação dos espaços da Praça Roosevelt. Quando houve o anúncio da transferência do posto da Guarda Civil Metropolitana e a destinação do espaço anteriormente utilizado para um posto da Polícia Militar, lançamos a petição pública “Por um Centro de Arte de Rua na Praça Roosevelt, ao invés de uma base da PM”.

No nosso entender, precisamos de “mais cultura e menos polícia”. Após quase um ano da presença da PM na praça, o que verificamos foi o aumento da repressão e da intimidação dos frequentadores, com inúmeras abordagens injustificadas, quase sempre direcionadas a jovens negros e da periferia, que também fazem parte do público que frequenta a Roosevelt, sendo mais um exemplo de como o recorte preconceituoso, de raça e de classe, marca a atuação de nossa polícia.

Ao mesmo tempo, não se verificou o aumento da subjetiva “sensação de segurança”. Pelo contrário, a praça tem sido palco de uma permanente tensão. Neste período, também verificamos a rápida deterioração dos quiosques, as chamadas caixas de vidro.

Aguardamos ansiosos por espaços de diálogo com a Subprefeitura da Sé, sobre a destinação daqueles espaços. Sem realizar audiência pública sobre a destinação do espaço, ou debater no Conselho Gestor da praça, a Subprefeitura da Sé lançou, no dia 30/06, um edital de chamamento público para selecionar projetos de exploração dos espaços pela iniciativa privada.

Pelas características do edital, bem como suas exigências, apenas um empreendimento comercial teria viabilidade de funcionar. Nenhum grupo, coletivo ou mesmo um pool destes teriam condições de desenvolver um projeto e ainda arcar com as exigências de conservação do conjunto da praça.

Além da falta de diálogo neste processo, preocupa-nos os efeitos que os possíveis selecionados neste edital podem gerar sobre o espaço público. É sabido, que parte da comunidade de usuários da praça defende a sua higienização, com o afastamento dos usuários de outras regiões, em particular os pobres e das periferias. Com o método e conteúdo deste edital, o que haverá não será a revitalização da praça, que já é abundante em vida, mas sim um processo de gentrificação do seu espaço.

Nesta perspectiva, gostaríamos de convidar os grupos, coletivos e usuários em geral da Praça Roosevelt para discutir a destinação dos quiosques, bem como métodos para barrar o andamento do edital.

Nossa proposta é realizar uma reunião na próxima segunda-feira, dia 13 de julho, às 19h, no Teatro Studio Heleny Guariba (Studio 184) na Praça Roosevelt, 184.

Coletivo Arrua
Em 08 de julho de 2015

O edital pode ser conferido na página da Subprefeitura da Sé, disponível aqui